sábado, 28 de março de 2009

The one?

Na língua inglesa, quando alguém encontra o amor de sua vida, este logo é chamado de 'the one'. O único, aquele que importa, o número um mesmo. Mas se depois de tantas quedas, a tal da pessoa especial recebe o nome de UM, os outros que passaram pela nossa estrada amorosa são o quê?
Segundo uma amiga querida, são os zeros. Sim, podem ser muitos...
São as pessoas que nos preparam para o amor. Por vezes a confundimos com a nossa "the chosen person", mas não. Nesses momentos, somos escolhidos. Precisamos dessas experiências para poder fazer o nosso "the one" feliz. E a nós mesmos também, claro.
O amor só é bom quando as duas pessoas estão prontas para isso e dispostas. Não adianta só querer que dê certo... É questão de conseguir, e nem sempre a gente consegue. Se tem uma coisa que eu aprendi é que só amor não resolve. Já amei muito, já fui amada... E repito: não adianta. O amor se transforma em experiência. Em páginas. Em lágrimas. Em história.
Depois de muitos zeros, você começa a surtar... Chega a pensar que o seu "one" ficou para trás, no meio de alguns zeros à esquerda.
Eu não desisto do amor. Sei que uma hora ou outra, esse tal do "the one" vai aparecer e chacoalhar tudo. Se tiver de vir do passado, estarei de braços abertos. Se estiver escondido em alguma nuvem do meu futuro, vou esperar pacientemente pela tempestade.
Amar alguém sozinho não dá mais. Ser amada e não sentir choquinho também não completa. É preciso que o renasça a cada dia. Mesmo que as borboletas no estômago sosseguem, a lembrança da alta voltagem que a paixão tem no começo ajuda a manter acesa a chama do relacionamento...
Como diria Rubem Alves... O que se ama é uma cena. Se você parar para pensar, você vai descobrir que cena fez você se apaixonar por alguém.
E não se assuste - Isso pode ser bem bizarro. Tem gente que se apaixonou ao ver a tal da pessoa contar uma história... se sujar toda com molho shoyo ao molhar o seu sashimi ou, até mesmo, tentar esconder as lágrimas em um filme bobo, mas de final triste. Tudo isso pode virar A cena. E é justamente esta memória que faz com que o choque dê o ar de sua graça de quando em quando... Se o amor é a plantinha que nossas mães nos contaram certa vez, a lembrança da cena é nossa maneira de regá-la.
Não se preocupe. Você vai saber. E será assustador. A gente passa a vida toda fazendo planos, pensando no que fazer... E de repente, seu futuro aparece claro na sua frente. Isso é maravilhoso, mas é atordoante também. Por isso que eu disse tantas vezes que é preciso estar preparado para este choque maravilhoso de realidade.
Então... não pule etapas. Passe pelas pontes que o coração precisa. E não apenas as de safena... hahaha. Vá fundo em todos os zeros... Mesmo que eles pareçam os únicos.
O importante é ser importante para alguém.
É ter muitas cenas para lembrar.
E poucas páginas escritas para se apagar.

8 comentários:

DK disse...

Nao acho que exista The One, acredito que sao varios que estao por ai. Acreditar que seja unico, ajuda a superar as barrieras que todo casal enfrenta, afinal...é esse ai e nenhum outro... Será mesmo??? :)

Joanna de Assis disse...

Hum... não foi isso que eu quis dizer.
Eu não acredito em apenas uma alma gêmea. Acredito em várias.
O que eu disse é que se um se vai... outro esta por vir.
Eu sempre penso assim.
:D

DK disse...

ahhh sim... :) Nao precisa ser o The One de cada dia tb... Mas se o The One vacilar, vira The Zero rapidinho hahahaha... O duro é que vira the One de novo...depois The Zero e...

Joanna de Assis disse...

hhaahaha, eu já tive um assim..
Aliás, quem não passou por isso?
The one, the zero, the one, the zero...
rsrsrsrsrsrs

Nicácio disse...

Joanna,

Finalmente encontrei uma forma de falar com você. A duas semanas atrás estive no treino do Corinthians no CT do PQ Ecológico. Fui como torcedor e meio sem querer, até pq sou arquiteto, me passei por repórter e pude assistir o treino dentro do gramado. Ventava muito e mais do que ver os jogadores do corinthians de perto eu pude ver você também. Você estava linda, com um casaco marrom, fiquei meio sem ação quando você sentou ao meu lado no banco, pensei muito no que falar, mas fiquei preocupado, pois caso você perguntasse de qual jornal eu era, não saberia o que dizer. Fiz um comentário sobre a forte ventania, você disse que por causa disso ficaria descabelada...rs.
Será que você lembra de mim??
Te observando durante o treino pude perceber o quanto é competente profissional.
Confesso que agora a minha vontade de voltar a assistir o treino deve-se muito mais ao fato de te ver novamente!
Beijo!
Tiago.

Joanna disse...

Ola, Tiago
Lembro de ter falado isso... mas sinceramente nao me recordo direito do dia.. Estava tao estressada com a materia, sabe como eh... Naquele dia eu finalmente consegui entrevistar o Ronaldo... Ai, ja viu ne...
Passei no seu blog, mas ele eh fechado!
Tudo de bom para vc e obrigada pelos elogios!!
Joanna

Raffael Pinheiro disse...

Joanna, concordo com vc! Também, não tem como não concordar, né!? Espero q o seu "The One" apareça em breve e te faça mt feliz... e espero q aconteça o mesmo cmg, pq d "flashback" ou "the zero, the one..." tô fora :P

Beijão e tudo d bom pra srta!

Anônimo disse...

Muito bom, mas no seu fundo existe alguma paixão com o "the one" hehehehe