terça-feira, 10 de março de 2009

Confusões no porta-retrato

Amo a sua figura estática
Parada, sem respirar
Eternizei você em mim
E sendo assim
Não tenho de me preocupar
Como o dia que isso tudo acabar.

Amo porque eu amo. E ponto. E final.
Não tem explicação
Eu gosto das tuas mãos
Mas dou falta das suas palavras
E eu sinto tantas coisas e não falo
É porque quando te vejo, me calo.

A tua imagem é qualquer coisa
Que eu gravei não só nos meus pensamentos
Mas também dentro da alma
O meu amor me acalma
Ele não precisa de argumentações
Mas sobram dentro de mim preocupações.

Quem ama deve aprender uma lição
Não se cobra amor nem atenção
O que se ama é o amor
O resto é representação
E por isso mesmo é que é sublime
E faz doer menos uma separação.

Um comentário:

DK disse...

Lindo... como vc. Que bom que nosso amor e assim e nunca vai haver separacao! :)