domingo, 11 de novembro de 2007

A noite e a madrugada

A noite é uma companhia ingrata.
Ela parece que fica calada,
Mas grita tantas coisas no meu ouvido...
A madrugada é uma amiga traiçoeira.
Ela me consome e depois some com a luz do dia.
Acelera todos os meus pensamentos e aflições.
Faz girar o carrossel da dúvida.
Faz acelerar a montanha-russa dos meus medos. T
odos os dias são iguais se com ela passo... se com ela não durmo.
Anoitece... e eu já penso nelas duas, que são as parceiras do desassossego.
Mas hoje eu vou me encontrar é com os meus sonhos, porque há tempos que não durmo e a noite, você sabe. É uma companhia ingrata.
Ela parece falar comigo.
Mas com ela eu apenas morro mais um dia calada.

Um comentário:

Marcello Barbusci disse...

Não pense que você apenas morre a noite calada. Imagine que você, na manhã seguinte, está renascendo para sorrir.