quinta-feira, 1 de abril de 2010

O amor que eu tenho

Eu amo o amor.
Amo saber que amei e aconteceu mais de uma vez.
Embora digam que amor verdadeiro só acontece uma vez na vida, eu prefiro acreditar que isso é apenas uma frase amarga, uma previsão mal feita.

O amor existe dentro da gente e, por isso, se manifesta com menos cerimônia do que se pensa. É um líquido, vapor, tecido... Um conjunto de células? Não sei dizer, tampouco a ciência. A química do amor tem sua equação sagrada. Mas está ali, desde sempre, dentro da veia.

Falar sobre amor é difícil. Muito difícil. Complicado usar uma frase, um pensamento, algo que se faça lógico e que nunca tenha sido dito. Acredito que seja um dos maiores desafios da literatura moderna: tratar o amor sem parecer clichê, sem soar piegas, sem descrever um beijo que você já viu pelo menos um milhão de vezes no cinema...

O problema é que o amor, é sim, brega. É bom ficar idiota e achar bonitinho falar como criança. Isso é algo que só os apaixonados conseguem e suportam fazer. Tem gente que se veste igual, compra a mesma camisa polo, o mesmo boné... É uma maneira de ampliar o universo da aliança no dedo anelar. Quem ama muito quer mostrar para o mundo que está amando. Já reparou?

O amor é a soma do mais simples e do mais complicado. É sentir frio na barriga ao ouvir o toque do telefone, mas é também sentir alívio, paz, calma ao atender a chamada. É calor, frio, tempestade, chuva de verão. São as quatro estações do ano.

Amor é amizade. É companheirismo. É briga por causa da tolha em cima da cama, mas também é a paz de um domingo.

Amar faz falta.
Amor de amante.
Amor de puxar o cabelo, de fazer tremer o corpo.

É gostoso não querer sair de casa só para não desperdiçar nem um minuto de atenção, de pele com pele, de beijo, de carinho. É ficar abraçado até perder completamente a noção do tempo. É perder a hora e se perder.

Ai, eu amo o amor e tudo o que ele proporciona.
Mesmo que ele seja doído. Mesmo que seja do tipo impossível.
Eu amo o amor...
Espero que ele me ame também.

14 comentários:

Gustavo disse...

Lindo! Como vc...

danilo disse...

vc conseguiu definir o amor sem pieguice
lindo!

Eduardo disse...

Que lindo!

Luiz Majauskis disse...

Que piegas! hahahaha
I'm kidding, just kidding...

Carol Hornhardt disse...

É amiga, vc falou bonito!!!
Amei... eu amo!
Amar é o combustível, é aquele famoso motivo de ação, a motivação, para viver bem e feliz.
Irmã linda, amo vc.
Beijo

Andre disse...

Vc mostrou mto sensibilidade nesse post, acho q foi o seu melhor. Usou uma forma simples de descrever algo tao complexo, raro ver ler algo tao profundo nos tempos de hohe. Parabens.

Carlos Ramon disse...

Simplesmente encantador, incrível o texto. Palavras que nos fazem refletir e constatar que o amor se aproxima muito do que foi dito Joanna,pelo menos na minha opinião.
Confesso que espero que ele me ame muito também. rs.

Beijo

Amor disse...

Te amo!

Alessandro R. C. disse...

Tá apaixonadíssima!

Já eu amo sem esperar ser amado.

Balzaquiana disse...

Eu amo o amor, a sensacao de amar, ate mesmo quando esse amor nao e correspondido...amo estar enamorada...

Marco Stamats disse...

Legal..."amor é a soma de mais simples e o mais complicado". Gostei.

Gabs disse...

Só agora pude ler esse post com mais calma...

Mandou bem Joanna!!!

O seu texto é de uma pureza e transparência raras de se ver!

As palavras estão encadeadas de uma forma tão harmônica que é impossível ler e se sentir indiferente diante do que está sendo lido!

Aprecio a delicadeza de suas ideias, apresentadas de forma leve, sem imperativos ou brusquidao. Elas emanam o doce aroma de quem quer apenas compartilhar a experiência da sensação mais sublime que o ser humamo pode alcançar.

Bom, se que isso vale alguma coisa, seu post serviu ao menos para me inspirar! E por isso tens a minha gratidão...

Tenha uma boa semana!

Gabs

Joanna de Assis disse...

adorei gabs!!
A idéia é sempre essa... Delícia saber que o objetivo foi alcançado!!
Leia o último que eu fiz, em inglês....
Veja o que acha!
beijo!

ladimir disse...

Deus acima de tudo